Saiba mais sobre a camisinha feminina

23/02/2011

As mulheres já podem contar com uma nova aliada para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo a aids e, para prevenir a gravidez. Chega ao mercado a camisinha feminina Della, última geração de preservativos femininos, fabricada em borracha nitrílica, um material sintético (livre de látex), que proporciona maior conforto, melhor sensação térmica e oferece total segurança para as mulheres.

O Ministério da Saúde já distribui a camisinha feminina gratuitamente em serviços públicos especializados, como insumo estratégico de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo a aids. A camisinha feminina é oferecida juntamente com a caminha masculina aumentando a proporção de relações sexuais protegidas e fortalecendo a capacidade de negociação das mulheres. Até o momento mais de 16 milhões de camisinhas femininas foram distribuídas gratuitamente no Brasil.

Em breve, as mulheres também poderão encontrar a camisinha Della nas principais redes de farmácias. A camisinha feminina Della é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e certificada pela Agência Norte-Americana de Controle de Medicamentos e Alimentos (FDA) e Comunidade Européia. No Brasil, é registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Prevenção de DST e aids – De acordo com o relatório publicado em 2010 pelo UNAIDS (Programa das Nações Unidas para HIV/aids), as novas infecções pelo HIV caíram quase 20% nos últimos 10 anos e os óbitos relacionados à aids diminuíram em quase 20%. Entre os jovens, em 15 dos países mais severamente afetados, a taxa de novas infecções pelo HIV caiu em mais de 25%, principalmente devido à adoção do “sexo seguro”. No entanto, no Brasil, apenas quatro em cada dez brasileiros usam preservativos e metade não sabe se é ou não portador do vírus HIV, informa o documento.

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, 94,9% dos casos de aids em mulheres registrados em 2009 decorreram de relações heterossexuais desprotegidas com pessoas infectadas pelo HIV. Os novos números da aids no Brasil, atualizados até junho de 2010, contabilizam 592.914 casos registrados desde 1980.

Entre o público jovem (13 a 19 anos) a proporção é de 10 meninas infectadas para cada oito meninos. “A camisinha masculina é muito popularizada, porém não é a única forma de prevenção. Além dela, existe a camisinha feminina que enfrenta tabu e preconceito por falta de conhecimento. A prevenção deve estar sob a responsabilidade de ambos os sexos, independente de qualquer fator ou circunstância” ressalta a psicóloga, sexóloga e terapeuta Rose Villela. Segundo Rose, no momento da relação sexual a mulher se sente constrangida em pedir para o parceiro colocar a camisinha, por temer que ele sinta desconforto na relação. Por isso, a camisinha feminina se torna uma opção de prevenção, uma vez que facilita a negociação da prática do sexo seguro.

Gravidez não planejada – A camisinha feminina por ser um método de barreira, também previne gravidez não planejada. Como é um método não hormonal e dispensa receita médica, pode ser usada por mulheres em qualquer faixa etária. Reforçando, a camisinha é o único método que oferece dupla proteção: protege contra a gravidez não planejada e de DST/HIV/aids.

“No Brasil é muito comum à falta de disciplina em relação aos contraceptivos, nesse caso a camisinha feminina pode ser a melhor saída para a mulher que não se adapta ao uso de pílulas e não quer ter filhos. Método que também aumenta o poder de negociação da mulher com o parceiro, e além de prevenir gravidez, previne de doenças sexualmente transmissíveis”, diz a psicóloga, sexóloga e terapeuta Rose Villela.

Conforto, segurança e prazer – A camisinha feminina Della pode ser colocada antes de iniciar a relação sexual, ou seja, não tem de interromper a espontaneidade sexual para colocar o preservativo. Ela tem uma argola em cada extremidade: uma interna, menor e uma maior, que fica por fora da vagina, protegendo a região dos grandes lábios.

O preservativo feminino reveste toda a vagina e cobre o colo do útero, oferecendo proteção contra doenças sexualmente transmissíveis e prevenindo gravidez não planejada. A camisinha feminina é também mais lubrificada. Apesar de vir num só tamanho, ela se ajusta ao tamanho e largura do canal vaginal e, além disso, pode ser usada durante o período menstrual.

Alguns homens acham a camisinha feminina mais confortável. Como o seu diâmetro é bem maior, ela não aperta o pênis. A camisinha feminina também é indicada para pessoas com alergia ao látex, um problema que atinge de 1% a 5% da população geral. Os sintomas são coceira, vermelhidão, inchaço e até pequenas feridas na vagina e no pênis. “Não é preciso deixar de ter relações sexuais, muito menos não se proteger por causa disso, pois a camisinha feminina é uma excelente alternativa” diz Rose.

Para as mulheres que acham que a camisinha feminina pode atrapalhar o prazer, a sexóloga elaborou algumas dicas quentes para tornar o momento mais prazeroso: . A argola externa em contato com o clitóris aumenta o prazer e, o pênis ao chocar-se com a argola interna também aumenta o prazer para o homem |. Colocar o preservativo feminino de forma sensual na frente do parceiro pode deixá-lo ainda mais excitado |. Ou então, você pode pedir para que o parceiro coloque o preservativo em você aumentando a excitação |. A camisinha feminina pode ser colocada antes da relação e não é necessário que o pênis esteja ereto (como no caso da masculina), por esse motivo a brincadeira pode rolar solta antes da penetração;

Segundo Rose, a rejeição das mulheres pela camisinha feminina existe principalmente por preconceito, pois a camisinha masculina é muito mais antiga e por isso, já está mais popularizada. “Quando as mulheres experimentam a camisinha feminina, percebem que não é nenhum bicho de sete cabeças e que muitas vezes, o prazer é até maior”, diz a psicóloga.

Como usar o preservativo feminino? Para abrir a embalagem, rasgue para baixo como indicado pela seta na parte superior e retire o preservativo. Não use tesouras, faca ou os dentes para abrir a embalagem.

Você ou seu parceiro segura a argola interna entre o polegar e o dedo indicador.  Depois, deve comprimir os lados da argola interna para formar uma ponta. A camisinha Della pode ser inserida em várias posições. Seu parceiro também pode inserir o preservativo em você. Encontre uma posição confortável. Pode ser em pé, sentada, agachada ou deitada. Em seguida, você ou seu parceiro introduz o dedo indicador ou o dedo médio por dentro do preservativo e empurra o preservativo pelo canal vaginal, empurrando a argola interna o mais profundo possível. 

Verifique que o preservativo não esteja torcido e encontra-se colocado de maneira uniforme no canal da vagina. Mantenha a argola externa aberta enquanto você ou seu parceiro introduz o pênis para dentro do preservativo. Para tirar a camisinha, segure e torça a argola externa para não deixar escapar o sêmen. Remova o preservativo delicadamente e descarte. Deve-se sempre usar uma nova camisinha em cada relação sexual. Nunca use uma camisinha masculina e feminina ao mesmo tempo.

 

Mitos e verdades sobre a camisinha feminina:

 – A camisinha feminina é segura? Verdade. Estudos clínicos demonstraram que a camisinha feminina de borracha nitrílica (material sintético) é um método bastante seguro e eficaz na prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV.

 – O material da camisinha feminina faz barulho durante a relação sexual? Mito. Existem alguns relatos de que as primeiras camisinhas femininas, fabricadas em poliuretano, faziam barulho. Já a camisinha feminina de borracha nitrílica, um material mais fino e macio, proporciona uma relação sexual mais prazerosa tanto para a mulher quanto para o homem.

 – A camisinha pode ser colocada antes da relação sexual? Verdade. A camisinha feminina pode ser colocada antes ou no momento da relação sexual.

 – A camisinha pode desaparecer dentro do corpo da mulher? Mito. A camisinha feminina cobre o colo do útero e a abertura do colo é tão pequena que impossibilita a passagem da camisinha através dessa abertura.

 – A camisinha feminina depende da ereção do pênis? Mito. como a camisinha feminina é colocada dentro da vagina, não depende da ereção do pênis. Muitos homens sentem-se mais confortáveis quando sua parceira usa a camisinha feminina, pois não aperta o pênis e não incomoda durante a relação sexual.

 – A camisinha feminina pode causar alergia? Mito. A camisinha feminina é feita de um material antialérgico e, por isso é uma excelente opção para homens e mulheres que têm alergia ao látex. Além disso, o uso da camisinha feminina não apresenta efeitos colaterais.

 – A camisinha feminina é mais segura na proteção de HPV e herpes? Verdade. A camisinha feminina oferece proteção adicional ao recobrir a região dos lábios vaginais, ajudando a prevenir a infecção pelo vírus HPV e herpes. Além disso, o sexo oral pode ser feito sobre a camisinha feminina.

 – O custo do preservativo feminino é alto e não é distribuído nos posto de saúde? Mito. O preservativo feminino está disponível em postos de saúde em vários municípios brasileiros.

Fonte

Anúncios

Sobre nemge

O NEMGE é órgão da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Visa aprofundar, através de pesquisa empírica e estudos teóricos, as articulações entre gênero, etnia e classe social, especialmente no Brasil e na América Latina.
Esse post foi publicado em Saúde e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s