Dilma garante: “Agora é minha vez”

01/03/2011

Dilma participou do programa Mais Você, da apresentadora Ana Maria Braga, gravado na última segunda-feira (28) e que foi ao ar hoje. Durante o encontro, a presidente preparou uma receita de omelete presidencial e, desta vez, acertou na preparação do prato.

A presidente Dilma Rousseff elogiou nesta terça-feira (1º) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e disse que nem sentiu passar os 60 dias de seu governo, mas admitiu que estar no cargo é um grande desafio, “como se todos os dias tivesse que escalar o Everest”.

No ano passado, ao participar do programa SuperPop, apresentado por Luciana Gimenez, Dilma também foi para a cozinha, mas a omelete acabou virando ovos mexidos porque, distraída, ela esqueceu de untar a frigideira.

Em clima descontraído, a presidente conversou também sobre a emoção que sentiu durante a posse, no dia 1º de janeiro. Classificou como “turbulenta” a sensação que teve ao receber a faixa presidencial de Lula. – É um momento muito especial. Por baixo daquela faixa tão levinha existe todo o peso e a responsabilidade de um país. Dilma contou ainda sobre a trajetória de sua candidatura desde quando era ministra-chefe da Casa Civil.

Disse que no início “não dava muita importância” quando Lula a apresentava como sua candidata, mas que depois seu nome foi evoluindo “naturalmente” como concorrente ao pleito. Sobre seu padrinho político, Dilma afirmou que Lula é uma pessoa muito doce e com senso de humor, mas também “muito exigente como todo presidente deve ser”.

Ela falou ainda sobre sua família. Disse que o pai foi uma das grandes inspirações para sua carreira e militância política. Dessa influência, contou Dilma, nasceu sua paixão por livros. Sobre sua mãe, Dilma se referiu a ela como uma pessoa “sempre solidária” aos problemas que enfrentou, como, por exemplo, o período que passou na prisão durante a ditadura militar.

Dilma falou ainda sobre o câncer, defendeu o uso do termo “presidenta”, “para enfatizar que a agora existe uma mulher no mais alto cargo do país”, e tentou amenizar sua imagem de “durona”.

– É interessante como esperam de nós, mulheres, uma certa fragilidade. Isso decorre do fato de que a mulher, quando assume um alto cargo, é vista fora do seu papel. Acho que, a partir de agora, isso vai começar a ser encarado como uma coisa normal e natural.

Fonte

Anúncios

Sobre nemge

O NEMGE é órgão da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Visa aprofundar, através de pesquisa empírica e estudos teóricos, as articulações entre gênero, etnia e classe social, especialmente no Brasil e na América Latina.
Esse post foi publicado em Feminismo, Notícias, Política e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s