Pesquisa: 59% das pessoas conhecem vítima de violência doméstica

Alcoolismo, baixa autoestima feminina, machismo, ciúmes, falta de respeito, traição. Estes são alguns dos fatores que contribuem para o triste quadro da violência doméstica no Brasil e, de acordo com um estudo sobre o tema, seis em cada dez brasileiros já tiveram algum tipo de contato com mulheres vítimas da situação.


Conduzida pelo Instituto Avon, a pesquisa mostra que 27% das mulheres afirmaram ter sido vítimas de violência doméstica, sendo que, entre elas, 15% apontam “ser forçada a fazer sexo” como uma agressão grave sofrida. Em contrapartida, apenas 15% dos homens admitiram ter praticado o crime.

Dentro do universo de entrevistados, 80% reconhecem como violência os diversos tipos de agressão física sofridos pela mulher no âmbito familiar como empurrões,tapas, socos e, em menor caso (3%), até a morte.

A agressão física é o aspecto mais associado ao problema, embora outras atitudes também apareçam na pesquisa como formas de violência doméstica – 62% das pessoas citaram agressões verbais, xingamentos, humilhação, ameaças e outras formas de violência psicológica. O levantamento “Percepções sobre a violência doméstica contra a mulher no Brasil” ouviu 1,8 mil homens e mulheres, de cinco regiões brasileiras, entre 31 de janeiro a 10 de fevereiro de 2011.

Conhecimento do tema e avanços

Dentro dos 59% de entrevistados que afirmaram conhecer alguma mulher que já sofreu agressão, 63% disseram ter tomado alguma atitude, um reflexo de que a sociedade está cada vez mais mobilizada para enfrentar o problema. As mulheres foram as que se mostraram mais proativas diante das vítimas.

De acordo com Jacira Melo, do Instituto Patrícia Galvão, parceiro do Instituto Avon no estudo, este é um fator positivo: “a pesquisa demonstra, com números contundentes, que a percepção de homens e mulheres sobre a gravidade da violência contra a mulher avança na sociedade brasileira”, observou.

O conhecimento sobre a legislação também foi destaque na pesquisa – 94% afirmaram conhecer a Lei Maria da Penha, de combate à violência doméstica, embora apenas 13% tenham afirmado conhecer o conteúdo da lei.

Quase 60% das mulheres afirmaram não confiar na proteção judicial nos casos de violência domésticos. Ainda assim, os dados mostram que, como recomendações para as vítimas, elas indicariam às vítimas o aparato policial (Delegacia da Mulher e Delegacia de Polícia), seguido de conversas com amigos e familiares.

Fonte

Anúncios

Sobre nemge

O NEMGE é órgão da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Visa aprofundar, através de pesquisa empírica e estudos teóricos, as articulações entre gênero, etnia e classe social, especialmente no Brasil e na América Latina.
Esse post foi publicado em Feminismo, Notícias, Violência e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s